Pergunta: Rabino, o Sr. frisou bastante as falhas da clonagem humana; mais e no caso de a ciência conseguir daqui a alguns anos, que a clonagem seja tão perfeita como a reprodução natural? Será que isto continuará sendo contra a vontade divina? 

RABINO DAVID: O homem não pode fazer nada que vá de encontro às leis da natureza. Se a clonagem genética obtiver sucesso com seres humanos, é uma prova de que a leis das natureza criadas por D’us no Seu mundo permitem que isto ocorra.

Em outras palavras, a própria técnica da clonagem não está proibida em nenhum lugar, nem na Torá, nem no Talmud. Por esta razão, não há motivo para crer que seja contrária à vontade  divina.

E se for, realmente, bem-sucedida, podemos considerar como um sinal. Deve haver algo de positivo nisso, algo que poderá ser usado para o bem.

No Talmud (Sanhedrin 38a) encontramos o seguinte: “Veja a diferença entre o Rei de todos os reis e o ser humano: o homem. Este quando estampa uma moeda a partir de um molde, obtém-nas todas iguais. Mas D’us, o Todo-Poderoso, estampou todos os seres humanos a partir do molde de Adão, o primeiro homem. E veja que não há um homem igual ao seu semelhante”.

O Talmud se estende no assunto. Ele diz que é a vontade de D’us que os homens sejam diferentes a fim de nos proteger de incestos, roubo etc.

Os dois lados da moeda

Quando aceitamos que a peculiaridade de cada ser, de cada criatura, é realmente um dos objetivos básicos do Criador, percebemos que a clonagem contradiz este princípio.

Por outro lado, não podemos esquecer que a clonagem pode ser a solução para muitos casais estéreis. Vários casais não têm filhos por causa da esterilidade do marido. Portanto poderiam, mediante a utilização de uma célula adulta, ter um filho.

Não desconhecemos a dor que um casal experimenta ao não poder ter filhos. Certamente, o judaísmo leva tal sofrimento em consideração.

Sabemos também dos graves problemas haláchicos e emocionais que decorrem de tratamentos, biópsias e injeções de hormônios. Sem dúvida, a clonagem humana pode vir a se tornar a solução para tudo isto.

Do ponto de vista da halachá, a clonagem (tão somente de uma  célula do marido e do óvulo da esposa) pode vir a ser muito mais aceitável do que a fertilização in vitro, uma vez que essa envolve muitos problemas haláchicos.

Como expus acima, se a clonagem humana obtiver sucesso é porque deve ter o seu lado positivo.

Aparentemente, este lado positivo será ajudar os casais sem filhos, contanto que sempre ocorra uma clonagem homogênea de uma célula do marido para a própria esposa, bem diferente das teorias atuais de armazenar peças de reposição a partir de embriões etc.

Mas mesmo quando o sucesso chegar, teremos de consultar e ouvir as opiniões dos grandes rabinos, das autoridades rabínicas competentes no assunto.