pt Portuguese
en Englishfr Frenchiw Hebrewpt Portuguesees Spanish

Não, o uso de brincos no judaísmo vai-se encontrar  resposta na Torá, segundo a qual D’us é absolutamente contra a mistura de quaisquer espécies.

Os mandamentos enfatizam a preservação e a integridade de cada espécie, de acordo com suas características individuais.

Como exemplos deste preceito, a Torá proíbe semear trigo em um vinhedo ou plantar cevada em um pomar, devendo-se sempre manter as sementes separadas.

Não é permitido o enxerto em frutas. A proibição ao cruzamento das espécies estende-se também ao mundo animal.

Segundo a tradição judaica, um dos pecados que provocou o dilúvio foi justamente o acasalamento entre animais de espécies diversas.

Portanto, não haveria de ser diferente no que se refere aos seres humanos. A Torá proíbe ao homem vestir-se como mulher ou à mulher vestir-se como homem.

O uso de brincos no judaísmo cai na categoria de misturas proibidas

Tal preceito inclui não apenas as roupas, mas também sua conduta perante D’us e a sociedade.

Este princípio torna-se mais importante no mundo contemporâneo, no qual as diferenças entre os homens e as mulheres estão cada vez mais diluídas e, às vezes, é muito difícil saber quem é realmente quem.

A proibição do uso de roupas que não sejam adequadas ao sexo do indivíduo visa justamente evitar que este adquira comportamentos e assuma tendências que não correspondam à sua identidade.

Não podemos, no entanto, desconsiderar os aspectos culturais que as vestimentas possuem. Assim, o conceito do que seja feminino ou masculino dependerá muito dos costumes de cada país e região.

No Oriente, por exemplo, a túnica era um traje comum entre os homens. Em alguns países da Europa, os homens não usavam anéis, considerados jóias femininas.

Esta é a razão pela qual muitos homens não os usam até hoje. Em relação ao brinco nas orelhas, entretanto, há um consenso de que é um costume feminino.

Dentro deste princípio, a Torá proíbe a sua utilização por homens, pois estariam misturando as espécies.

Ou seja, o judeu, para cumprir a Torá, deve manter as espécies bem definidas, como D’us as criou, permitindo a cada um melhor identificar-se com o que ele realmente é, sendo, portanto, mais feliz.

(Matéria publicada na Revista Morashá em setembro de 1997)

Leia e/ou imprima este artigo em PDF

Já baixou o App do Legal Saber? Se não, o que está esperando?!


INFORMATIVO LEGAL SABER

ACENDIMENTO DAS VELAS DE SHABAT 

LocalidadesVelas de Shabat para 21/06/19HorárioFinal do Shabat 22/06/19Horário
S. PauloAcendimento das Velas:17:09Término do Shabat:18:05
R. de JaneiroAcendimento das Velas:16:56Término do Shabat:17:53
Belo HorizonteAcendimento das Velas:17:05Término do Shabat:18:01
Recife Acendimento das Velas:16:51Término do Shabat:17:44
SalvadorAcendimento das Velas:16:56Término do Shabat:17:51
CuritibaAcendimento das Velas:17:16Término do Shabat:18:13
Porto AlegreAcendimento das Velas:17:12Término do Shabat:18:12
Fonte: chabad.pt

 

LEGAL SABER ESCLARECE AS PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE JUDAÍSMO

 

 


ACESSO RÁPIDO AO CONTEÚDO