Rabi Levi Yitschac de Berditchev foi um exemplo de amor ao próximo, a ponto de ser conhecido como o “Defensor do Povo de Israel”. Alguém que ignorava as mais cruas evidências de pecado em nome da pura afeição pelo irmão judeu. Para o sábio, seu povo era o que sempre deveria ter sido: devoto, unido, temente aos Céus e quaisquer faltas eventuais eram meras fatalidades.
Orientava os pobres e excluídos. Rezava com fervor, de maneira realmente inusitada. Estudava a Torá com a mente e a alma. Detectava e anulava decretos nas Alturas e resgatava judeus física e espiritualmente. Nada mal para alguém cuja existência não era das mais tranqüilas. Foi injustamente perseguido por se tratar de um discípulo do Maguid de Mezritch, o sucessor do Baal Shem Tov, o fundador do chassidismo.
Além de tudo, Rabi Levi Yitschac se destacou numa época de destaques. Justos e eruditos, a bem da verdade, nunca faltaram no Velho Continente. Assim mesmo, ele conseguiu sobressair como grande tsadic. Nada mal.
Através dos ditos e histórias cativantes que se contam sobre ele, delineamos um preciso painel da vida judaica na Europa Oriental no primórdio do Movimento Chassídico. Um início realmente difícil, com as contendas entre os mantenedores da ordem existente e os pioneiros de uma nova modalidade de serviço ao Criador. Nesses momentos devemos ter a sensibilidade para entender os nobres motivos da controvérsia e daí aprender valiosas lições para os dias atuais.
Que possamos seguir difundindo a vida e os feitos dos sábios e que e exemplo do Rabi Levi Yitschac de Berditchev desperte em todos a ambição de crescer espiritualmente e apressar uma nova era, com a revelação do redentor definitivo, e que seja em breve, em nossos dias.
 
(Extraído do prefácio do livro Rabi Levi Yitschac de Berditchev)