O pensamento chassídico em geral e a Chassidut Chabad em particular possuem uma visão toda abrangente do mundo. Isso pois engloba o modus vivendi que considera o propósito central do judeu como o elo unificador entre o Criador e a criação.

O judeu é uma criatura do “céu” e da “terra” e dotado de uma alma Divina celestial. O Tanya, parte 1, cap. 2 afirma que ele realmente é uma parte da Divindade. Contudo está investido em um receptáculo terrestre, que é o corpo físico. Possui também uma alma animal vizinha. Assim, o judeu tem como missão concretizar a imanência Divina neste mundo. Além disso, ele precisa elevar a sua natureza dentro da absoluta unidade de D’us.

Precisamos entender o encobrimento e a ocultação da luz Divina, pelo qual todas as coisas existem. Isso propicia ao mundo parecer desfrutar de uma existência autônoma. Porém, na realidade, todas as criaturas só existem em virtude da força Divina nelas imanente e permanente. Então, ela perdura somente pelo fato de esta força estar oculta às suas vistas.

Aprofundando-se sobre esta teoria da criação constante dos seres, chegamos automaticamente às próximas conclusões, não menos importante que a primeira: a anulação de todas as criaturas perante a faísca Divina que as vitaliza, e que tudo ocorre neste universo por Providência Divina particularizada, não dando espaço a nenhuma coincidência ou mero “acidente da natureza”, pois tudo é criado neste instante pela força Divina.

O pensamento chassídico sendo disseminado em nosso vernáculo

Ultimamente, testemunhamos uma grande sede e demanda por obras de Chassidut no vernáculo. Isto contribui para a disseminação de Pnimiut HaTorá, trabalho iniciado por Rabi Israel Baal Shem Tov, fundador do movimento chassídico, e difundido amplamente pelos Rebeim que o sucederam. Tem sido assim sistematicamente com o pensamento chassídico.

De acordo com a fé judaica, tanto a Lei Escrita (Tanach, acróstico de “Torá, Profetas e Escrituras”) como a Lei Oral (Talmud, Midrash, Cabalá, etc.) foram transmitidas na sua totalidade a Moshé no Sinai. Todavia, nem todas as partes da Torá foram reveladas para o povo de Israel de uma só vez, sendo feito isto em diferentes momentos da nossa história. O pensamento chassídico assim passou a ganhar suma importância, pois investe na disseminação de Pnimiut HaTorá, a parte íntima da Torá.

O Todo-Poderoso escolheu o momento mais apropriado e relevante para a revelação de certos aspectos da Torá. Assim foi, por exemplo, com o Talmud, com os comentários de Rashi e Maimônides, cada um na sua época, e o mesmo se deu com os ensinamentos da Chassidut, que teve sua revelação iniciada por Rabi Israel Baal Shem Tov e ampliada por Shneur Zalman de Liadi.

Rogamos ao Todo-Poderoso que a disseminação dos ensinamentos chassídicos nos traga em breve a revelação do justo Mashiach.

(Extraído do prefácio do livro O Pronunciamento que Sustenta a Criação, Editora Maayanot, S. Paulo e do livro Sobre a Essência da Chassidut, Editora Kehot, S. Paulo)

Baixe o App do Legal Saber no seu celular e desfrute de conteúdo judaico qualificado