pt Portuguese
en Englishfr Frenchiw Hebrewpt Portuguesees Spanish

O s ensinamentos do Baal Shem Tov (1698-1760), o fundador do movimento chassídico, por um lado são extremamente complexos, porém ao mesmo tempo são profundamente simples, o que mudou radicalmente, para melhor, a vida judaica.

Na sua época, a comunidade judaica pois se polarizava cada vez mais entre uma reduzida elite erudita e as massas menos instruídas.

O Baal Shem Tov nos ensinou que um pastor sem erudição não era menos importante — e potencialmente era até mais — que um gigante intelectual. O conhecimento acadêmico da Torá não ocupa necessariamente o primeiro assento quando se trata de interiorizar os valores de D’us. Aqui está um valor particular do movimento chassídico do qual o Baal Shem Tov foi o baluarte vivo.

Entretanto, o estudo da Torá é imprescindível para a existência do povo judeu. Mas deve ser complementado pelo amor a cada judeu — amor pela humanidade —, amor pela Torá e amor a D’us.

O que a Torá nos ensina — como recitamos diariamente na prece do Shemá — é: “E amarás o Senhor teu D’us com todo o teu coração e com toda a tua alma…” (Deuteronômio 6:5) Não está escrito “E amarás o Senhor teu D’us com todo o teu cérebro e com toda a tua inteligência…”

Porque o amor não é algo intelectual.

A nossa capacidade para o saber é claramente limitada. Mas não a nossa capacidade para amar.

Frequentemente, os indivíduos que enfrentam os maiores desafios mentais possuem maior talento para amar. Por sua vez, aqueles intelectualmente superiores podem ser frios e insensíveis.

Acima de tudo, o Baal Shem Tov ensinou que o amor ao próximo é essencial para ser um homem de fé.

Em raras ocasiões, a humanidade se viu diante de tamanha necessidade de amor, e a cura e união que o amor traz.

(Extraído do prefácio do livro Baal Shem Tov, Editora Maayanot, S.Paulo)

Baixe ou imprima este texto em PDF

Baal Shem Tov

Conheça um pouco mais da vida do fundador do Chassidismo. ADQUIRA LIVRO