Aproveito o gentil convite feito a mim para escrever algumas linhas sobre educação judaica para parabenizar a Escola Beit Yaacov, que em tão pouco tempo conseguiu reunir um número tão grande de alunos, dos mais diferentes bairros e comunidades. Tal façanha é digna do mais alto louvor, principalmente neste momento em que muitas escolas lutam contra a diminuição do número de alunos. Escrevo algumas reflexões sobre a educação judaica que podem servir de inspiração para pais e mestres.
“Eduque a criança segundo seu caminho; mesmo quando envelhecer, ela não se desviará dele” (Provérbios 22-6). Este adágio pronunciado pelo mais sábio dos homens, o Rei Salomão, reflete a educação ideal e verdadeira, aquela que ficará gravada para sempre na mente e no coração da criança, e dela não se desviará. Apesar de ser uma tarefa da mais alta importância — senão vital —, requerendo o esforço adequado, não é algo impossível de se alcançar.
Os pais devem escolher a escola adequada, que utilize métodos modernos e professores tementes a D’us. Mas isso não dispensa a atenção deles. Muito mais do que os presentes dos pais, os filhos precisam da presença deles.
Para tanto, os pais devem ser os primeiros a educá-los, servindo como um exemplo daquilo que pregam com amor e dedicação, alicerçados pelos ideais judaicos, conforme descritos na Torá e em nossos livros sagrados. É muito mais importante proporcionar uma educação judaica na mais tenra idade, pois isso deixará uma “impressão” para sempre.
Quem tiver a oportunidade de receber uma educação judaica desde o berço estará muito mais preparado para enfrentar as tempestades da vida e as influências da sociedade. Se, porventura, este indivíduo vier a se afastar desses valores, ele acabará retornando. Nossos sábios dizem que o que se aprende quando criança fica gravado na alma e jamais será esquecido. É um erro grave pensar que a educação judaica começa aos 13 anos, com o Bar Mitsvá.
A escola judaica, por sua vez, deve formar uma parceria perfeita com os pais. Assim como os pais precisam se comprometer e dedicar o seu tempo para ensinar aos seus filhos, o colégio judaico deve ser um exemplo de escola em todos os aspectos, tanto na parte laica, como na parte judaica, o que implica em ter professores competentes, que entendam de pedagogia, tenham o ideal e que acreditem no que transmitem. Com estes dois aspectos, um lar judaico identificado e uma escola judaica modelo, estaremos criando e preparando a geração de amanhã: jovens judeus identificados com seu passado e engajados com o futuro da comunidade.
A educação não deve se limitar à simples transmissão de conhecimentos e à preparação para a vida profissional, mas, também — e principalmente —, deve ensejar a aquisição de valores importantes para a vida, formação do caráter, aprendizado do respeito a si próprio, aos pais, mestres e colegas.
 
(Discurso em homenagem à inauguração da Escola Beit Yaacov)

Leia e/ou imprima este artigo em PDF