SE A CRIANÇA RECEBER UMA EDUCAÇÃO JUDAICA SERÁ CAPAZ DE AGUENTAR “VENTOS E TEMPESTADES’’
Não apenas o saber em si é muito importante, mas também o sábio que o ministra. Essa sentença adquire uma conotação ainda mais pungente, quando dita, em outras palavras, por David Weitman. Ele próprio um homem e rabino de grande sabedoria, e que sabe usa-la em favor do bem. (Os trocadilhos não estão neste texto por um acaso, mas porque outros vocábulos poderiam soar dissonantes ou até mesmo perderem sua profundidade).
Weitman, de 47 anos, nascido na Bélgica, realizou seus estudos em academias talmúdicas e teológicas de Israel, França e Estados Unidos, graduando-se como rabino e juiz. Para ele, o profissional encarregado de educar as crianças deve estar preparado adequadamente e acreditar na força daquilo que ensina. “Um professor da área judaica deve ter fé, crer em D’us e na Torá. Deve acreditar plenamente naquilo que transmite; caso contrário, estará, a longo prazo, instigando dúvidas em seus alunos e as conseqüências serão muito mais prejudiciais do que podemos imaginar”, assinala. E prossegue: “Não há possibilidade no mundo de hoje de transmitir algo no qual não se acredita. As crianças têm uma sensibilidade muito grande e percebem, imediatamente, se o professor acredita no ‘peixe’ que vende”.
Há 22 anos no Brasil, Weitman é rabino da Congregação Beneficente Sefaradi Paulista, editor responsável da Editora Maayanot e diretor executivo do Ten Yad. Ele desempenha funções rabínicas como líder espiritual e se dedica a assistência social e ao bem-estar das pessoas menos privilegiadas da comunidade e a divulgação da milenar cultura judaica.
A educação ideal, ao seu ver, é aquela que primeiramente é transmitida em casa, por intermédio dos pais, que são um exemplo daquilo que pregam com amor e dedicação. “A educação começa em um lar sólido, harmonioso, onde existam ideais judaicos e onde se transmitam os nossos valores, conforme descritos na Torá e Talmud”, explica.
O lar para Weitman é o local que serve como uma base que, se acrescida a uma boa escola onde a criança aprenderá a aumentar o seu conhecimento laico e judaico, resultara na formação de um judeu engajado e identificado com sua comunidade. “Nem todos os pais são pedagogos, mas todos eles podem se empenhar para dar o tempo e o exemplo corretos para seus filhos”, ressalta. “Isso tudo é um dos ‘sacrifícios’ que os pais tem que fazer, esforçando-se ao máximo para o filho ver em casa o quanto são importantes os costumes judaicos, os detalhes, as tradições dos avós e bisavós, as festas judaicas, ou seja, tudo que é nosso”. Ele afirma que cada pai pode fazer isso e ninguém está isento de tais atos. “O pai também deve – se ele acha que não tem possibilidade de transmitir o conhecimento ou esse é insuficiente – arrumar um professor, uma escola ou um Talmud Torá, onde seu filho poderá adquirir tais conhecimentos.”
O bom educador, em sua opinião, e aquele que tenta transmitir para as crianças não apenas conhecimento, mas, sim, desenvolver traços de caráter nobre, permitindo que a criança cresça e se ilumine. “Aquele que recebeu uma educação judaica será, sem dúvida, um judeu capaz de aguentar ‘ventos e tempestades”’, assinala. Weitman diz que não é preciso explicar que a influência da “rua”, das diferentes culturas no seio da sociedade maior tem uma força descomunal sobre os jovens. Ele acredita que se um judeu recebe uma boa e sólida educação, mesmo se, porventura vir a se afastar desses valores, ele acabará retornando. E muito mais importante proporcionar uma educação judaica na tenra idade, pois isso terá uma “impressão” para sempre. “Caso não tenha recebido uma educação adequada, a criança estará fragilizada, vulnerável.” Tal assertiva consta em Provérbios 22:6 – “Educa a criança segundo seu caminho; mesmo quando ela envelhecer, não se desviará dele”.
Como editor responsável da Editora Maayanot, o rabino explica não se tratar de uma instituição educacional, não se atendo somente a pedagogia, mas permitindo que pais, pedagogos, preceptores, professores e interessados tenham um rico e farto material judaico para utilizar. “A Maayanot é uma editora que se ocupa em divulgar a sabedoria milenar do Judaísmo de forma acessível a todos”, define.
Ainda sobre o assunto livros, Weitman aconselha que os pais contem uma história com temática judaica antes de seus filhos dormirem. “Ao ler para uma criança uma história de algum justo ou profeta, os pais estarão investindo em seus filhos, preparando seu caráter para enfrentar todas as atribulações que a vida oferece”, sugere.
 
(Matéria publicada no Jornal Tribuna Judaica de outubro de 2001)

Legal Saber JUDAÍSMO!
Estudando a filosofia chassídica
Um rebe no inferno nazista
Artes Plásticas e Judaísmo: “Os Quatro Vagões de Sobrevivência” de Gershon Knispel
Templos, profetas e sábios
Um memorial para a imigração judaica no Brasil
Rashi – O mestre do povo judeu
O sentido da oração
O Brasil recebe as comunidades judaicas
Criptojudaísmo e conversos
Reencarnação e Judaísmo
OS JUDEUS ORIUNDOS DO EGITO
Como o judaísmo encara os objetos voadores não identificados e a possibilidade de vida em outros planetas?
Não adianta transmitir um judaísmo adaptado e maquiado, Judaísmo é um privilégio.
O tesouro dos conselhos do Rebe de Lubavitch
A RAINHA ESTER NOS DIAS DE HOJE
A SABEDORIA DO REI SALOMÃO: PROVÉRBIOS
A GRANDE DEDICAÇÃO DE RUTH, MULHER EXEMPLAR
A SABEDORIA DO REI SALOMÃO: CÂNTICO DOS CÂNTICOS
A SABEDORIA DO REI SALOMÃO: ECLESIASTES
O significado do 45º aniversário
USANDO A TECNOLOGIA A FAVOR DA TORÁ
TRATADO SOBRE A RESSURREIÇÃO DE MAIMÔNIDES
OS TRÊS COMPONENTES DO UNIVERSO
RABI LEVI YITSCHAK DE BERDITCHEV – O DEFENSOR DO POVO JUDEU
O HOLOCAUSTO NÃO É UM CASTIGO
OUVINDO AS MENSAGENS DA VIDA
OS JUDEUS NOS PAÍSES MUÇULMANOS
A ESTRUTURA DO TANACH (A BÍBLIA JUDAICA)
O RESPEITO DEVIDO À ORAÇÃO DO CADISH
O perigo das drogas e dos vícios
O PERIGO DA ALIENAÇÃO E DO CASAMENTO MISTO
O PENSAMENTO CHASSÍDICO SOBRE A CRIAÇÃO
O papel da mulher no Judaísmo
ALEPO, EXEMPLO DE ERUDIÇÃO E BENEVOLÊNCIA
O PROPÓSITO DE NOSSA EXISTÊNCIA
O BAAL SHEM TOV E O AMOR INCONDICIONAL
KITSUR SHULCHAN ARUCH – A OBRA PRIMA DA LEI JUDAICA
JERUSALÉM, OLHO DO UNIVERSO
IMIGRAÇÃO JUDAICA: DE SHTETEL PARA AS COLÔNIAS NO SUL DO BRASIL
PORQUE CONTAR AS HISTÓRIAS CATIVANTES DO REBE DE LUBAVITCH?
DESENVOLVENDO NOSSO CARÁTER
FÉ E CIÊNCIA
DANDO SENTIDO E SIGNIFICADO EM NOSSA VIDA
OS CONFLITOS NA TERRA SANTA
CASHER HOJE
+