A história e os ensinamentos da vida de Rabi Shneur Zalman são apaixonantes, pois ele viveu em uma época conturbada, quando o Movimento Chassídico se estabeleceu em alicerces seguros. A sua postura heroica e sublime frente aos seus oponentes são uma sequência de histórias de bravura e autossacrifício. Foi ele o primeiro líder da dinastia dos Rebes de Lubavitch e criador do Movimento Chabad, que revoluciona e fortalece o Judaísmo até hoje.
Rabi Shneur Zalman de Liadi, conhecido como o Alter Rebe (1745-1812), foi realmente um gigante. Já em sua tenra idade, sua alma pura se notabilizou, chegando a lograr títulos antigamente conferidos aos Tanaím (sábios do Talmud). Como mestre exemplar, ele brilhantemente fundiu os aspectos revelado e esotérico da Torá, conforme indicado pelo seu próprio nome: Shnei Or (Duas Luzes).
Apesar de ser um dos discípulos mais jovens do Maguid de Mezritch, foi ele o escolhido para resumir de forma concisa as leis do Shulchan Aruch e incluir também os seus motivos. Esta obra se celebrizou e foi reconhecida no mundo judaico inteiro como o Shulchan Aruch HaRav. Na parte mística, é reconhecido principalmente pelo seu livro Tanya e suas centenas de Maamarim (discursos chassídicos), nos quais ele criou um sistema profundo e compreensivo para unir a materialidade e a espiritualidade.
No Tanya, Rabi Shneur Zalman nos ensina a refinar e a espiritualizar o secularismo material, transformando este mundo em uma morada para a Divindade. Ele ensina que o bem inerente do homem é a força dominante em nossas vidas. Todavia, frequentemente esta força fica presa devido ao conflito com a alma animal. Mesmo assim, nós temos a liberdade e a capacidade de subjugar qualquer tentação por meio do autocontrole (o conceito de Moach shalit al halêv – a mente domina o coração). Esta é uma das maiores contribuições de Rabi Shneur Zalman de Liadi nesta sua obra clássica chassídica, publicada pela primeira vez em 1796, na Rússia.
Os trabalhos de ética judaica anteriores ao Tanya diferenciavam o Tsadic (homem justo) – de coração e atos perfeitos e puros – do Rashá (homem perverso) – de coração e atos perversos. Obviamente, muitas pessoas que se situavam entre esses dois extremos sentiam-se incompletas, pois não atingiam o estágio ideal do ser humano, o Tsadic perfeito. O Alter Rebe colocou o seu ser humano ideal em um novo modelo espiritual, que ele chamou de Beinoni (o homem “alcançável”). Beinoni é o homem cujo caráter interno é similar ao do Rashá, consistindo na dicotomia entre bem e mal, que é o estágio original do ser humano, mas o comportamento do Beinoni é tão impecável quanto o do Tsadic.
Rabi Shneur Zalman nos ensina que, apesar do eterno conflito interno, o nosso comportamento, pensamento, fala e ação devem refletir sempre a nossa Divindade e espiritualidade inata. Este estágio é alcançável por todos. D’us não deseja que pessoas santas façam coisas santas; Ele deseja que pessoas não-santas façam coisas santas.
 
(Extraído do prefácio do livro Alter Rebe)