NA OPINIÃO DO SR., O QUE GERA A ASSIMILAÇÃO?

Minha opinião é que a assimilação no judaísmo é fruto principalmente da ignorância: quando um judeu não está consciente, não sabe, não conhece o patrimônio fantástico que é o judaísmo, a religião, os laços, as tradições, de onde ele vem, quem eram seus avós, ao que ele pertence.

Quando ele perde esses laços ele se torna mais vulnerável para um ato assimilatório. Ato assimilatório, pois, não significa apenas um casamento misto, também pode ser alguém que se engaja numa seita ou com um guru de uma religião diferente, isso também existe.

COMO SE COMBATE ASSIMILAÇÃO NO JUDAÍSMO DA MELHOR FORMA?

Sem dúvida através de espalhar conhecimento judaico. Se nós ensinamos princípios do judaísmo, tradições judaicas, o que é a religião, a história judaica, a filosofia, a halachá, o conhecimento talmúdico de forma agradável, mostrando amor, o lado positivo do judaísmo, para a pessoa não ver isso apenas como um peso, e sim ao contrario, como algo gostoso este judeu estará bem mais imune a qualquer praga assimilatória.

Dizem que uma vez uma pessoa estava escalando uma montanha, subindo com sacolas de pedras, e não estava suando e nem cansado. E todo mundo estava estranhando. Quando ele chegou lá em cima, perguntaram como ele estava subindo a montanha com uma sacola de pedras e não cansa, não sua!

Ele falou: é simples! Abriu a sacola e eram pedras preciosas. Pedras preciosas ninguém cansa! Nossa obrigação é mostrar para o jovem judeu que ele tem pedras preciosas, ele não pode se desfazer delas nem perdê-las. Se ele conscientizar-se disso, ele estará, sem dúvida, um judeu muito mais identificado e consciente. Portanto, o instrumento para lutar contra a assimilação no judaísmo nós possuímos.

A LUTA CONTRA A ASSIMILAÇÃO É VISTA POR ALGUNS COMO PRECONCEITO, RACISMO, ETC… QUAL A MELHOR FORMA E OS MELHORES ARGUMENTOS PARA COMBATER ESSE PENSAMENTO?

Tem que entender o seguinte: Primeira coisa, não é apenas nós judeus que estamos contra o casamento misto, conforme consta na halachá judaica.

Todas as religiões pensam, falam e escrevem isso de uma forma muito mais forte.

Existem bulas papais que os cristãos são proibidos de casar com alguém que não é cristão! E assim também, os muçulmanos não podem casar com infiéis. Mais ainda, hoje em dia, um padre católico não casa um rapaz católico que conheceu uma moça protestante. Eles têm que ter a mesma fé! Por que isso?

Não por racismo! O casamento significa que você esta querendo estar feliz para sempre com esta pessoa. Casamento significa compartilhar, amar, de uma forma eterna, permanente e não provisória.

Para isto acontecer às pessoas, tem que ter ideais em comum, uma bagagem em comum. Já não é fácil alcançar esta união entre duas pessoas do mesmo povo. Assim, se há entre elas divergências e barreiras espirituais, imagine quão mais difícil será.

Então quando você aconselha alguém a casar com uma moça do seu povo isso não é racismo nenhum! É um conselho para ele estar feliz, afinal você tem o direito de dar um conselho para alguém. Você quer vê-lo feliz, não quer ver um casamento fracassado. E a receita para essa felicidade está, entre outras, na união de pessoas do mesmo povo.

ESTATÍSTICAS FALAM POR SI SÓ

As estatísticas demonstram isso claramente: altas porcentagens de casamentos entre pessoas de fé diferente não dá certo! Quando um rapaz conhece uma moça de outra religião por amor ele tem que a deixar casar com alguém do povo dela.

O que significa casamento? Significa que cada cônjuge quer ver o outro 100% feliz. Se você sabe que não pode se dar 100% ao outro, somente 70%, que tem muralhas ou obstáculos para este casamento, é justamente por amor que deve liberá-la e a deixá-la ser 100% feliz com outra pessoa.

Isso não tem racismo nenhum, preconceito nenhum. Isso é um conselho de amizade: por amor, deixar o outro ser muito mais feliz.

INSTITUIÇÕES COMO ESPAÇO K OU NETZAH COMBATEM A ASSIMILAÇÃO ATRAVÉS DA APROXIMAÇÃO E CONTATO ENTRE JOVENS JUDIAS E JOVENS JUDEUS. SABE-SE QUE ESSE MÉTODO É VISTO COM MAUS OLHOS POR GRUPOS ULTRA-ORTODOXOS, POIS TAL CONTATO ANTES DO CASAMENTO É CONTRA A HALACHÁ. QUAL A SUA OPINIÃO A RESPEITO?

Minha opinião enfim é que tem que avaliar caso por caso.

Uma instituição que promove palestras, encontros entre rapazes e moças solteiros para eles se conhecerem em vista a um relacionamento sério, para poder contratar mais tarde um casamento, possui uma intenção positiva.

Claro que não pode de modo algum ferir os princípios da halachá. Se alguém então se aproveita desta boa intenção para não ser sério em um relacionamento, é grave.

Então tem que sempre analisar bem. O importante é fazer tudo de acordo com a halachá, com intenções boas para casamentos sérios e duradouros. Assim estaremos afastando para o mais longe possível o risco de assimilação no judaísmo.

(PUBLICADA NA REVISTA EMULÁ)

Baixe o App do Legal Saber agora e aproveite conteúdo judaico qualificadot


Legal Saber JUDAÍSMO!
Estudando a filosofia chassídica
Um rebe no inferno nazista
Artes Plásticas e Judaísmo: “Os Quatro Vagões de Sobrevivência” de Gershon Knispel
Templos, profetas e sábios
Um memorial para a imigração judaica no Brasil
Rashi – O mestre do povo judeu
O sentido da oração
O Brasil recebe as comunidades judaicas
Criptojudaísmo e conversos
Reencarnação e Judaísmo
OS JUDEUS ORIUNDOS DO EGITO
Como o judaísmo encara os objetos voadores não identificados e a possibilidade de vida em outros planetas?
Não adianta transmitir um judaísmo adaptado e maquiado, Judaísmo é um privilégio.
O tesouro dos conselhos do Rebe de Lubavitch
A Rainha Ester nos dias de hoje
A sabedoria do Rei Salomão: Provérbios
A grande dedicação de Ruth, mulher exemplar
A sabedoria do Rei Salomão: Cântico dos Cânticos
A SABEDORIA DO REI SALOMÃO: ECLESIASTES
O significado do 45º aniversário
Usando a tecnologia a favor da Torá
Tratado sobre as ressurreição de Maimônides
Os três componentes do universo
RABI LEVI YITSCHAK DE BERDITCHEV – O DEFENSOR DO POVO JUDEU
O HOLOCAUSTO NÃO É UM CASTIGO
Ouvindo as mensagens da vida
OS JUDEUS NOS PAÍSES MUÇULMANOS
A ESTRUTURA DO TANACH (A BÍBLIA JUDAICA)
O respeito devido à oração do Cadish
O perigo das drogas e dos vícios
O perigo da alienação e do casamento misto
O pensamento chassídico sobre a Criação
O papel da mulher no Judaísmo
ALEPO, EXEMPLO DE ERUDIÇÃO E BENEVOLÊNCIA
O propósito de nossa existência
O BAAL SHEM TOV E O AMOR INCONDICIONAL
Kitsur Shulchan Aruch – A obra prima da lei judaica
JERUSALÉM, OLHO DO UNIVERSO
IMIGRAÇÃO JUDAICA: DE SHTETEL PARA AS COLÔNIAS NO SUL DO BRASIL
PORQUE CONTAR AS HISTÓRIAS CATIVANTES DO REBE DE LUBAVITCH?
DESENVOLVENDO NOSSO CARÁTER
Fé e ciência
Dando sentido e significado em nossa vida
OS CONFLITOS NA TERRA SANTA
Casher hoje
+