Não é exagero dizer que entre todos os volumes da Mishná nenhum é tão querido, e nenhum recebeu tanta atenção e ganhou tantos leitores, como A Ética dos Pais. A sua popularidade se percebe pelo número de traduções em línguas diferentes e pela variedade de inúmeros comentários. Costumava-se estudar Pirkê Avot Shabat à tarde nas academias da Babilônia, e até hoje este costume é seguido nos Shabatot do verão, e por isso este Tratado foi até incorporado a cada livro de rezas (Sidur).
O motivo desta peculiaridade do Pirkê Avot é duplo. Primeiro, o início deste tratado menciona nominalmente toda corrente dos grandes sábios que transmitiram a tradição da Lei Oral. Isto demonstra a autenticidade e veracidade da tradição talmúdica, conforme passou de geração em geração, desde Moshé no Sinai até o último dos Sábios da Mishná.
Segundo, o livro compila as mensagens curtas, palavras refinadas e citações dos nossos grandes mestres (chamados “pais”) no que concerne ao comportamento moral do ser humano. Por sua lógica pura e seu conteúdo Divino, Pirkê Avot, por excelência, é o guia mais prático de ética para o homem que procura as virtudes e quer enobrecer o seu caráter.
A Ética dos Pais começa relatando que a Torá nos foi outorgada por D’us no Monte Sinai, querendo nos ensinar que não apenas as leis e os mandamentos são Divinos, mas também que as regras da ética judaica são dádivas do Todo-Poderoso. O ser humano é por demais subjetivo e narcisista para criar um manual de moral para o homem. Conforme o dito do Rebe de Lubavitch: “Uma pessoa não se elevará do chão um centímetro sequer puxando o seu próprio cabelo”. Para melhorar, o ser humano precisa de uma moral que venha de Cima para baixo. E o Pirkê Avot representa isso.
Maimônides escreve a respeito de seu comentário sobre Pirkê Avot: “Mesmo sendo este tratado pequeno e de fácil compreensão em sua superfície, agir de acordo com seu conteúdo não é fácil para todos sem uma explicação detalhada”
 
(Extraído do prefácio do livro Pirkê Avot Comentado por Maimônides)

Legal Saber JUDAÍSMO!
Estudando a filosofia chassídica
Um rebe no inferno nazista
Artes Plásticas e Judaísmo: “Os Quatro Vagões de Sobrevivência” de Gershon Knispel
Templos, profetas e sábios
Um memorial para a imigração judaica no Brasil
Rashi – O mestre do povo judeu
O sentido da oração
O Brasil recebe as comunidades judaicas
Criptojudaísmo e conversos
Reencarnação e Judaísmo
OS JUDEUS ORIUNDOS DO EGITO
Como o judaísmo encara os objetos voadores não identificados e a possibilidade de vida em outros planetas?
Não adianta transmitir um judaísmo adaptado e maquiado, Judaísmo é um privilégio.
O tesouro dos conselhos do Rebe de Lubavitch
A RAINHA ESTER NOS DIAS DE HOJE
A SABEDORIA DO REI SALOMÃO: PROVÉRBIOS
A GRANDE DEDICAÇÃO DE RUTH, MULHER EXEMPLAR
A SABEDORIA DO REI SALOMÃO: CÂNTICO DOS CÂNTICOS
A SABEDORIA DO REI SALOMÃO: ECLESIASTES
O significado do 45º aniversário
USANDO A TECNOLOGIA A FAVOR DA TORÁ
TRATADO SOBRE A RESSURREIÇÃO DE MAIMÔNIDES
OS TRÊS COMPONENTES DO UNIVERSO
RABI LEVI YITSCHAK DE BERDITCHEV – O DEFENSOR DO POVO JUDEU
O HOLOCAUSTO NÃO É UM CASTIGO
OUVINDO AS MENSAGENS DA VIDA
OS JUDEUS NOS PAÍSES MUÇULMANOS
A ESTRUTURA DO TANACH (A BÍBLIA JUDAICA)
O RESPEITO DEVIDO À ORAÇÃO DO CADISH
O perigo das drogas e dos vícios
O PERIGO DA ALIENAÇÃO E DO CASAMENTO MISTO
O PENSAMENTO CHASSÍDICO SOBRE A CRIAÇÃO
O papel da mulher no Judaísmo
ALEPO, EXEMPLO DE ERUDIÇÃO E BENEVOLÊNCIA
O PROPÓSITO DE NOSSA EXISTÊNCIA
O BAAL SHEM TOV E O AMOR INCONDICIONAL
KITSUR SHULCHAN ARUCH – A OBRA PRIMA DA LEI JUDAICA
JERUSALÉM, OLHO DO UNIVERSO
IMIGRAÇÃO JUDAICA: DE SHTETEL PARA AS COLÔNIAS NO SUL DO BRASIL
PORQUE CONTAR AS HISTÓRIAS CATIVANTES DO REBE DE LUBAVITCH?
DESENVOLVENDO NOSSO CARÁTER
FÉ E CIÊNCIA
DANDO SENTIDO E SIGNIFICADO EM NOSSA VIDA
OS CONFLITOS NA TERRA SANTA
CASHER HOJE
+