TRIBUNA JUDAICA: EM SUA OPINIÃO, COMO SERIA A EDUCAÇÃO JUDAICA IDEAL?

RABINO DAVID WEITMAN: A educação judaica é uma parceria entre o lar e a escola. Isso significa que o lar não pode ser omisso. Os pais têm que ser engajados, dedicar seu tempo a ensinar os seus filhos.

O colégio judaico, por sua vez, tem que ser um exemplo de escola em todos os aspectos. Isso tanto na parte laica, como na judaica. Assim, isso implicará em ter professores competentes, que entendam de pedagogia, tenham o ideal e que acreditem no que transmitem.

Tendo esses dois aspectos, um lar judaico identificado e uma escola judaica modelo, estaremos criando e preparando uma geração bem-educada, judaicamente falando.

A COMUNIDADE JUDAICA CUMPRE O SEU PAPEL SATISFATORIAMENTE, NO QUE DIZ RESPEITO À EDUCAÇÃO, EM ESPECIAL JUDAICA?

RDW: A comunidade tem boa vontade, mas em termos de educação e de espiritualidade em geral, nunca podemos nos satisfazer e temos que sempre procurar melhorar.

O versículo bíblico diz: “Eduque a criança segundo seu caminho; mesmo quando envelhecer, ela não se desviará dele” (Provérbios 22:6).

É lamentável saber que muitos dos alunos que passam por escolas judaicas, quando se tomam adultos, desviam-se do caminho.

Essa situação é a maior prova de que temos que melhorar a educação, que precisamos de professores mais profissionais, mais bem-preparados e com muito mais conhecimentos.

Mas, acima de tudo, é imprescindível que o professor ou a professora tenham fé no que ensinam.

Infelizmente, sem citar nomes, ainda existem nas escolas judaicas, professores que, ao ensinarem a narrativa das Dez Pragas do Egito ou a passagem pelo Mar Vermelho, simultaneamente negam o milagre Divino e ironizam o texto bíblico.

Nessa hora, matam a fé pura das crianças e abafam seus sentimentos judaicos por anos; e as conseqüências a longo prazo serão catastróficas.

“O início da sabedoria”, diz o mais sábio dos homens, “é o temor a D’us”.

TJ: BASTA ESTUDAR EM ESCOLAS JUDAICAS PARA QUE POSSAMOS ACREDITAR QUE UMA CRIANÇA RECEBE, DE FATO, UMA EDUCAÇÃO JUDAICA? EM CASO NEGATIVO, O QUE SERIA PRECISO PARA COMPLEMENTA-LA?

RDW: Não, absolutamente. A escola é um complemento, é importante, mas não substitui a obrigação dos pais.

O Talmud indaga, no momento do nascimento de uma criança, quem fará a bênção do Pidyon Haben (resgate do primogênito), o cohen (sacerdotes, professores) ou o pai?

E a resposta é, pois, que a responsabilidade cabe ao pai.

A lição é óbvia. Os pais têm de escolher a escola adequada, a fim de que esta utilize métodos modernos e professores tementes a D’us.

Mas isso não dispensa a atenção deles. Muito mais do que os presentes dos pais, os filhos precisam pois da presença deles.

TJ: COMO SUPRIR UMA “EVENTUAL DEFICIÊNCIA” DE CONHECIMENTO JUDAICO EM UMA PESSOA JÁ ADULTA, QUE NUNCA TENHA ESTUDADO E/OU RECEBIDO EM SUA CASA OU INFORMALMENTE UMA EDUCAÇÃO JUDAICA? E O QUE DIFERE UMA PESSOA QUE TENHA RECEBIDO ESSE TIPO DE EDUCAÇÃO DE OUTRA QUE NÃO?

DW: Nunca é tarde para aprender. O melhor exemplo disso é Rabi Akiva. Ele começou a aprender Judaísmo aos 40 anos, frequentando a mesma sala de aula que o seu filhinho.

Mais tarde, contudo, ele tornou-se um dos maiores eruditos do Talmud. Hoje em dia, existem vários cursos de Judaísmo para os pais. Eles abrangem diversos aspectos, desde a alfabetização em hebraico até a filosofia judaica (o chamado Adult Education).

E é muito recomendável aos pais frequentarem essas aulas e cursos, a fim de acompanharem melhor o rendimento de seus filhos. É um equilíbrio ideal para a educação judaica no lar seguir par e passo com o que se ensina na escola.

Obviamente, quem teve a oportunidade de receber educação judaica desde o berço está muito mais preparado para enfrentar as tempestades da vida. Isso inclui igualmente as influências da “rua” e da sociedade.

Os nossos sábios dizem que o que se aprende quando criança, fica gravado na alma e nunca será esquecido.

Um erro grave enfim é pensar que a educação judaica começa com o Bar Mitzvá, aos 13 anos. O processo educacional deve ser iniciado em tenra idade, e não ser postergado.

TJ: COMO O SENHOR RESUMIRIA ESSA NOBRE TAREFA QUE É A EDUCAÇÃO?

DW: Como mencionei anteriormente, citando Provérbios, a educação recebida na juventude é aquela que então perdurará.

Para responder a sua pergunta, cito algumas palavras do Rebe de Lubavitch, grande educador desta geração, quando do lançamento de sua campanha educacional mundial — “Mivtsá Chinuch”, no intuito de nenhuma criança judia ver-se privada, portanto, de receber uma educação judaica baseada na Torá.

O Rebe salientou que: “A educação não deve limitar-se à mera transmissão de uma soma de conhecimentos e à preparação para uma profissão, mas, também e principalmente, deve ensejar a aquisição de valores importantes para a vida, formação de caráter, aprendizado do respeito a si próprio e aos pais, mestres e colegas”.

(Publicado no Jornal Tribuna Judaica em 2000)

Baixe o App do Legal Saber no seu celular